TOLERÂNCIA


Repare a minha cor,
Tão real que ela é.
Tem cheiro e tem calor,
Expressa a minha fé.
Tem encanto e tem angustia,
Tem alma, alegria;
Tem soberba e tem astúcia,
Saudade e euforia.
Repare a minha cor,
Porque há nela amor,
Além de sabedoria.


Repare, respeite a minha cor;
Porque há nela a luta.
Há vida, há sabor;
Tem união e tem disputa.
Tem carinho, tem desgraça;
Tem medo e teimosia.
Tem as horas que logo passa,
E noites que não amanhece o dia.
Respeite a minha cor,
Porque há nela a crua dor;
E também a mais valia.


Respeite a minha cor,
É expressão da verdade.
É a jura, é o favor;
É a mentira e a sinceridade.
É a rima, é o gingado;
Da poesia sambada.
É o desejo escancarado,
É a volúpia recatada.
Respeite a minha cor,
Porque ela tem o furor;
Mas é também apaziguada.


Respeite a minha cor,
Ser humano disfarçado.
Repare se há valor,
No julgamento discriminado.
Tenho tudo que você tem,
Em saúde, pele e osso.
E se você for para o além,
Temo pelo seu corpo posto.
Respeite a minha cor,
Porque foi me dada pelo senhor;
E tenho nisto muito gosto.

#MarcosSantos  

Deixe um comentário